Perda auditiva e doenças cérebro e cardiovasculares.

Tempo de leitura: 2 minutos

Grande ênfase tem sido dada à saúde auditiva em 2014. Como médico, você deve rotineiramente solicitar uma avaliação auditiva para seus pacientes. Além de encaminhar os pacientes para testes audiométricos e encorajá-los a tratar a perda auditiva, é importante informá-los sobre os riscos caso eles ignorem a perda de audição – perigos que envolvem certas comorbidades perigosas.
“Pesquisas mostram correlação entre doenças cardiovasculares e perda de audição.”1
A conexão entre coração e audição. Algumas doenças cardiovasculares alteram o fluxo sanguíneo e causam traumas nos vasos sanguíneos da orelha interna. A orelha interna é tão sensível ao fluxo sanguíneo que distúrbios como a perda auditiva, principalmente nas freqüências mais baixas, podem ser um sinal de alerta para uma possível doença cardiovascular.
O estudo de Framingham postula que a perda auditiva de baixa frequência foi associada com doença cardiovascular. O sistema cardiovascular de 1168 pacientes foi avaliado no departamento de audiologia. As correlações entre o audiograma e as alterações cardiovasculares foram verificadas e controladas em relação a idade e sexo dos pacientes. Modelos de regressão logística foram utilizados para calcular fatores de risco cardiovascular a partir do padrão do audiograma. Os modelos foram aplicados a um grupo de 90 indivíduos recrutados a partir de clinicas medicas de cardiologia e geriatria, que também realizaram audiometrias.

Os resultados indicaram uma associação significativa entre perda auditiva nas baixas freqüências e fatores de risco para doença cardiovascular. Em relação à idade, hipertensão arterial, diabetes, tabagismo e dislipidemia, a perda auditiva nas freqüências graves foi significativamente associada com as seguintes desordens cardio e cerebrovascular:
• Patologia vascular intracraniana (acidente vascular cerebral e ataques isquêmicos transitórios)
• Doença vascular periférica
• Doença arterial coronariana
• Infarto do miocárdio
“Concluímos que há uma relação significativa entre o status cardiovascular e o padrão audiométrico.”2
Perda auditiva nas frequências graves é, de fato, um marcador que pode prever a presença ou potencial desenvolvimento de doença cardiovascular.2
Pacientes com perda auditiva nas frequências graves deveriam ser orientados sobre o risco de problemas cardiovasculares e encaminhados para um especialista.3

Padrões audiométricos mostram forte correlação com doença cerebrovascular e arterial periférica e podem servir como screening para a verificação do risco dessas doenças.3

Gostou deste artigo? Clique no mapa abaixo e encontre a clínica mais próxima de você. Aumente agora a sua qualidade de vida!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *